Porque devem o marketing e as relações públicas trabalhar em conjunto

As relações públicas e o marketing são duas áreas que vivem muitas vezes em tensão dentro de uma empresa. Um dos motivos é o orçamento que ambas têm (ou não) disponível para as suas atividades. Outro dos motivos, talvez o principal, é a forma como ambas são percebidas internamente. 

O Marketing, que tem normalmente a grande maioria do orçamento, é encarado como o responsável pela geração das vendas. As relações públicas, por outro lado, trabalham a notoriedade e a reputação da marca, distantes de qualquer impacto nas vendas (por isso mesmo o seu orçamento é menor). 

Esta é uma forma simplista de colocar as coisas uma vez que uma campanha estratégica de marketing e relações públicas terá maior impacto, especialmente ao longo do tempo, e vão impulsionar as vendas. É por isso que muitas organizações já colocam estas duas áreas em estreita colaboração, funcionando em conjunto. 

Abaixo partilhamos três exemplos que comprovam o sucesso de um joint force entre relações públicas e marketing:

Na definição das mensagens-chave

Não há nada pior do que as relações públicas estarem a comunicar a política corporativa da empresa e a marca lança um novo produto que vai contra as melhores práticas ambientais. Além do potencial de crise que esta situação pode gerar, as duas mensagens entram em contradição, comprometendo os resultados pretendidos.  É necessário assegurar o alinhamento entre as mensagens divulgadas. Numa era em que a informação e a opinião são frequentemente misturadas, as relações públicas e o marketing tem de partilhar dados e coordenar mensagens numa base regular. Caso contrário, desperdiçam oportunidades.

No lançamento de um produto

Continuando com o exemplo do produto. Uma sólida estratégia de marketing pode gerar grande notoriedade para um novo produto. Isto porque a publicidade paga gera alcance e frequência de mensagem. Como complemento, uma campanha de RP vai ajudar a aumentar a credibilidade do produto, uma vez que a informação divulgada por terceiros tem mais impacto do que anúncios. 

Na gestão de  uma crise 

Quando algo falha ou a imagem da empresa/marca estão em causa, o primeiro passo deve ser alinhar estratégias entre o marketing e as relações públicas. Qualquer situação de crise, vagamente definida como uma circunstância suscetível de afetar negativamente a reputação, exige uma resposta que integre os diferentes canais ao alcance da marca, sejam meios pagos, meios próprios ou meios “ganhos”. Este momento exige um esforço de cooperação para comunicar que uma marca ou uma empresa percebeu o seu erro e está a fazer todos os possíveis para o corrigir ou reparar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.